sexta-feira, agosto 19, 2022
spot_img
InícioEconomiaAs empresas brasileiras pagaram dividendos recordes em 2021

As empresas brasileiras pagaram dividendos recordes em 2021

  • O crescimento de base reduzida vem impulsionado por um pequeno número de empresas de mineração e energia
  • O forte crescimento brasileiro levou os dividendos dos mercados emergentes a um resultado anual recorde em 2021
  • As perspectivas apontam um pagamento de dividendos globais recorde em 2022, mas questões em torno do setor de mineração criam incertezas no Brasil

O valor dos dividendos pagos pelas empresas brasileiras atingiu um recorde de US$ 25,4 bilhões em 2021 – um novo recorde anual. Esta é uma das principais descobertas da edição de 2021 do Janus Henderson Global Dividend Index.

O relatório mostra que a Vale distribuiu metade do total brasileiro em 2021 (US$ 12,4 bilhões), registrando o segundo maior dividendo de mineração pago em todo o mundo, apenas superado ligeiramente pela BHP. A Petrobras também contribuiu com uma grande proporção dos dividendos totais do Brasil, com US$ 7,7 bilhões, o que equivale a 30% do total.

No total, o crescimento subjacente dos dividendos das empresas brasileiras aumentou 228,1%, e em termos nominais o crescimento foi de 168,8%.

No Brasil, o único setor a reportar dividendos mais baixos foi o setor de bebidas, em grande parte porque a Ambev cortou seus pagamentos de dividendos, de US$ 1,2 bilhão em 2020 para US$ 223 milhões em 2021.

O forte desempenho dos setores de mineração e energia, que impulsionou o pagamento de dividendos recorde do Brasil em 2021, também foi um fator de liderança por trás do aumento dos dividendos globais até o recorde de US$ 1,47 trilhão, um aumento de 16,8% em termos nominais, e equivalente a um crescimento subjacente de 14,7%.

Mais de um quarto do aumento dos dividendos anuais de US$ 212 bilhões em todo o mundo veio das mineradoras, que se beneficiaram do aumento dos preços das commodities. Os pagamentos recorde das mineradoras refletiram a força de seus lucros. O setor de mineração distribuiu 96,6 bilhões de dólares durante o ano, quase o dobro do recorde anterior estabelecido em 2019 e dez vezes mais do que durante a crise em 2015-16. 

Ignacio de la Maza, Head do EMEA Intermediário e América Latina na Janus Henderson, disse que o forte crescimento dos dividendos das empresas de mineração suscita uma dúvida sobre se os fortes resultados do Brasil serão mantidos este ano: “A grande incógnita para 2022 é o que vai acontecer no setor de mineração. Os preços do minério de ferro são um motor significativo e, apesar de terem recuperado algum terreno perdido recentemente, são atualmente mais baixos do que durante a maior parte de 2021. Outros preços do metal, assim como o carvão, têm se comportado melhor. Entretanto, dada a dependência dos lucros e dos dividendos nos preços das commodities, existe um grau significativo de incerteza sobre o nível de desembolsos da mineração. É razoável supor que eles vão cair abaixo dos níveis recorde de 2021, pelo menos na redução ou eliminação de pagamentos especiais pontuais, e atualizaremos nossos números para o setor ao longo do ano para refletir esses desenvolvimentos. Em outros lugares, é provável que os dividendos do petróleo melhorem em 2022, devido aos altos preços da energia, e esperamos que a maioria dos setores proporcione pagamentos mais altos. Além disso, o impacto dos recentes eventos geopolíticos sobre os dividendos irá variar de acordo com o setor e a empresa, sendo alguns mais impactados do que outros por sanções e aumento dos preços dos insumos. Atualizaremos nossa previsão global de dividendos para 2022 quando o próximo relatório trimestral da JHGDI for divulgado.”

Enquanto isso, os bancos globais conseguiram retomar os dividendos no ano passado e seus pagamentos dispararam 40% (para US$ 50,5 bilhões) para retornar a níveis mais normais após os reguladores terem limitado as distribuições em muitas partes do mundo em 2020. Globalmente, os pagamentos voltaram a 90% de seu pico pré-pandemia em 2021, com dividendos de US$177 bilhões em 2021, abaixo dos US$201 bilhões em 2019. No Brasil, o Banco do Brasil (US$ 1,19 bilhões) e o Bradesco (US$ 1,15 bilhões) lideraram o retorno dos dividendos dentro do setor bancário. 

Apesar do forte crescimento dos bancos, das empresas de energia e das mineradoras, a pesquisa também encontrou uma melhoria de base ampla nos pagamentos de dividendos: no total, 90% das empresas obtiveram ou arrecadaram dividendos, o que sugere uma potencial resistência à recuperação econômica.

O crescimento do Brasil também foi o principal fator por trás do crescimento geral dos mercados emergentes, que saltaram para um recorde de $164,4 bilhões em 2021, com um aumento de 32,0% na base subjacente. Portanto, os mercados emergentes são também vulneráveis a uma queda cíclica nas commodities, mas há uma maior diversificação a nível desses mercados: “Dois terços das empresas de mercados emergentes em nosso índice aumentaram os pagamentos ou os mantiveram estáveis. Embora menos do que a média global, isto se deveu ao fato de muitos terem feito pagamentos com base nos lucros deprimidos de 2020”, diz Jane Shoemake, Gerente de Portfólio de Clientes, Global Equity Income.

A nível global, a Janus Henderson melhorou sua previsão de dividendos globais em 2022 e prevê um novo recorde de US$ 1,52 trilhão neste ano, o que equivale a um crescimento subjacente de 5,7% em 2022, com o crescimento nominal inferior em 3,1%, graças a menores dividendos especiais e com base nas tendências atuais, os ventos contrários causados pelo dólar mais forte.

No entanto, ainda não é possível definir ao certo se exisitiram ou qual seriam os impactos dos recentes conflitos geopolíticos entre Rússia e Ucrânia nos dividendos de 2022, aponta Shoemake. “Pode-se esperar um período de maior volatilidade do mercado de ações à medida que as ramificações do conflito se tornarem mais claras, mas, em última análise, a escala e a sustentabilidade da inflação e a resposta dos bancos centrais ajudarão muito a determinar se as economias entram em um período de estagflação ou simplesmente em uma crise econômica. ciclo com inflação mais alta do que recentemente. A interação entre preços de energia mais altos, inflação, crescimento econômico e política do banco central será observada de perto nos próximos meses. Com relação aos dividendos, o impacto da crise irá variar de acordo com o setor/empresa, sendo alguns mais impactados do que outros por sanções e aumento dos preços dos insumos. No entanto, a Rússia não contribui significativamente para os dividendos globais. O maior impacto será nos Mercados Emergentes, que responderam por 13% dos dividendos globais em 2021, com a contribuição de bancos e petroleiras russos provavelmente sendo severamente impactados. Atualizaremos nossa previsão global de dividendos para 2022 quando o próximo relatório trimestral da JHGDI for divulgado”

Notas aos editores:

Dividendos nominais – A soma total de todos os dividendos recebidos.

Crescimento dos dividendos subjacentes – Crescimento dos dividendos nominais corrigidos por dividendos especiais, mudança na moeda, efeitos de tempo e mudanças no índice. 

Dividendos subjacentes – Dividendos nominais corrigidos por dividendos especiais, mudança de moeda, efeitos de tempo e mudanças no índice.

Sobre Janus Henderson
A Janus Henderson Group é um líder global na gestão de ativos, que é dedicado a ajudar investidores a atingir suas metas financeiras de longo prazo por meio de uma ampla gama de soluções de investimentos, incluindo ações, renda fixa, ações quantitativas, multiativos e estratégias de classe de ativos alternativos.

Em 31 de dezembro de 2021, Janus Henderson tinha aproximadamente US$ 432 bilhões em ativos sob sua gestão, mais de 2.000 funcionários e escritórios em 25 cidades do mundo. Com sede em Londres, a empresa está listada na Bolsa de Valores de Nova York (NYSE) e na Australian Securities Exchange (ASX).

Fonte: Janus Henderson Group plc

Este comunicado de imprensa é exclusivamente para uso da mídia e não deve ser utilizado por investidores pessoais ou institucionais ou consultores financeiros. Chamadas telefônicas podem ser gravadas para nossa proteção mútua, para melhorar o atendimento ao cliente e para fins de manutenção de registros regulatórios.

Emitido por Janus Henderson Investors. Janus Henderson Investors é o nome sob o qual os produtos e serviços de investimento são fornecidos pela Janus Capital International Limited (registro. n.º 3594615), Henderson Global Investors Limited (registro. n.º 906355), Henderson Investment Funds Limited (registro. n.º 2678531), Henderson Equity Partners Limited (registro nº 2606646) – cada um registrado na Inglaterra e no País de Gales no endereço 201, Bishopsgate, Londres, EC2M, 3AE, e regulamentado pela Autoridade de Conduta Financeira – e Henderson Management SA (registro nº B22848 em 2 Rue de Bitbourg, L-1273, Luxemburgo, e regulamentado pela Commission de Surveillance du Secteur Financier). Henderson Secretarial Services Limited (constituída e registrada na Inglaterra e no País de Gales, registrada no nº 1471624, sede 201, Bishopsgate, Londres, EC2M, 3AE) é o nome sob o qual os serviços de secretariado da empresa são prestados. Todas essas empresas são subsidiárias integrais da Janus Henderson Group plc. (constituída e registrada em Jersey, registrada no nº 101484, com sede em 13, Castle Street, St Helier, Jersey, JE1, 1ES).

[Janus Henderson, Janus, Henderson, Intech, VelocityShares, Conhecimento Compartilhado, Conhecimento. Shared and Knowledge Labs] são marcas registradas da Janus Henderson Group plc ou de uma de suas subsidiárias. © Janus Henderson Group plc.

RELATED ARTICLES

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Advertisment -
Google search engine

Most Popular

Recent Comments