quinta-feira, agosto 18, 2022
spot_img
InícioSaúde e Fitness4 formas de "Reanimar" a pele que sofre com rugas e o...

4 formas de “Reanimar” a pele que sofre com rugas e o aspecto cansado

Exposição solar sem fotoproteção, alimentação desbalanceada e tabagismo são os principais fatores que contribuem para o aparecimento das rugas mais cedo do que o normal

Quem já passou dos 30 anos sabe: o metabolismo não é mais o mesmo e, de repente, olheiras aparecem com mais facilidade, as linhas finas surgem e algumas rugas passam até a ficarem mais demarcadas, o que expressa também uma aparência mais triste e cansada. Os locais mais comuns de aparecimento dessas rugas dependem do tipo de expressão mais frequente em cada pessoa, além de hábitos, principalmente com relação à exposição solar, alimentação, estresse, qualidade do sono e tabagismo. Mas a genética também pode influenciar. “Por exemplo, o genótipo do gene MMP1 está relacionado a uma degradação do colágeno oito vezes maior que o normal após a exposição solar.

Existe também o genótipo do gene COL1A1, ligado à menor produção de colágeno. Além disso, a carência de genótipos de genes como SOD2 e CAT compromete a capacidade antioxidante da pele em responder bem contra a ação dos radicais livres. E temos também genes que influenciam na hidratação e secura da pele. Ou seja, essas características predispõem o paciente a ter mais rugas e sofrer mais com o fotoenvelhecimento”, destaca o geneticista Dr. Marcelo Sady, Pós-Doutor em Genética e diretor geral Multigene.

Segundo o cirurgião plástico Dr. Mário Farinazzo, membro Titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), com cuidados diários como hidratação, proteção solar e hábitos saudáveis é possível postergar em 5 a 10 anos a evolução de rugas. No entanto, segundo o médico, com hábitos de vida ruins, as rugas mais profundas que deveriam aparecer após os 40 ou 50 podem surgir antes. Quando as alterações já apareceram, existem meios de tratá-las. Especialistas em Dermatologia e Cirurgia Plástica contam mais sobre as formas mais indicadas de ‘reanimar’ a pele:

Rejuvenescimento Ultrafracionado: Exclusivo do Pico Ultra 300, o modo de tratamento ultrafracionado é revolucionário, pois faz uma varredura na pele, segundo a dermatologista Dra. Letícia Bortolini, dermatologista membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia. “Diferente dos outros lasers de picossegundos, é possível com o comprimento de onda 532nm eliminar os sinais de fotodano, que são os causados pela radiação solar crônica, como pigmento acastanhado e vermelho, que vemos principalmente na poiquilodermia, condição em que há uma combinação de atrofia da pele, aparecimento de vasos e hiperpigmentação”, explica a médica. “Nesse tipo de fotodano, além da hiperpigmentação, o envelhecimento ocorre pela desnaturação e redução de fibras elásticas e colágenas, então Pico Ultra 300 promove uma reorganização dessas fibras, além de aumento da produção dessas proteínas de sustentação da pele”, explica a Dra. Letícia. A grande vantagem, segundo a médica, é o rejuvenescimento sem downtime ou com mínimo incômodo por pouco tempo. “Hoje as pessoas não querem e não têm tempo para ficar vermelhas ou descamando em casa. Além disso, o tratamento não dói, mas ainda é possível aplicar anestésico tópico antes para pessoas mais sensíveis”, conta. No geral, são feitas três sessões, sendo uma a cada 30 dias, mas podem ser feitas mais vezes, dependendo da indicação.

Nano Fat: O Nano Fat é um procedimento que visa melhorar o aspecto geral da pele através da injeção de pequenas partículas de gordura no tecido cutâneo. “No procedimento, utiliza-se da lipoaspiração para retirar uma pequena quantidade de gordura do próprio paciente, que é então transformada em partículas menores para ser novamente injetada na pele. Apesar de não conferir volume ou preenchimento, visto que as partículas de gordura são muito pequenas, a melhora no aspecto da pele é proporcionada pela presença de células-tronco na gordura, que promovem uma potente regeneração dos tecidos da região tratada”, diz o Dr. Paolo Rubez, cirurgião plástico, membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. Realizado sob o efeito de anestesia local, o procedimento é feito em apenas uma sessão e não possui downtime, permitindo que o paciente retorne às atividades normalmente. No entanto, a aplicação de fotoprotetor é indispensável e atividades físicas só podem ser realizadas após 7 dias.

Litlift: O litlift é um tratamento que surgiu nos Estados Unidos baseado no anseio dos millenials para abandonar o uso de filtros e maquiagens, visando assim conferir resultados muito satisfatórios, mas sem afetar a naturalidade do rosto. “Ideal para otimização da harmonia facial, o litlift consiste na combinação estratégica de preenchedores e neuromodulares injetáveis que são aplicados sob a pele em uma sessão de, no máximo, 30 minutos para promover rejuvenescimento e melhora geral da aparência”, afirma o Dr. Mário Farinazzo. Com resultados visíveis em apenas uma semana, o tratamento não tem downtime e nem causa inchaço, vermelhidão ou descamação da pele, permitindo ao paciente retornar imediatamente as suas atividades.

Total Remake: Os tratamentos rejuvenescedores a laser nem sempre precisam lesionar a camada mais superficial da pele – o que exige alguns dias longe das atividades diárias. Um exemplo é o Total Remake, um laser Erbium Glass com comprimento de onda de 1350 nanômetros. “Este laser tem afinidade pela água, sendo interessante para tratamentos onde a produção de colágeno é desejada. Esse é um tratamento não ablativo, ou seja, não faz furinhos na pele, mas age na derme promovendo coagulação, o que estimula colágeno”, explica a dermatologista Dra. Daniella Curi. O tratamento também melhora as cicatrizes de acne, poros abertos e a textura da pele, ajudando a tratar linhas finas. Apesar de não lesionar a camada superficial, o tratamento não é indolor, mas o uso de anestésico tópico ou resfriador externo auxiliam bastante no manejo dessa sensação. No geral, são indicadas de três a cinco sessões, com intervalo mensal entre elas.

Falando em prevenção, os cremes podem ajudar – e um exame genético também. “Como existem genes envolvidos em diversas alterações na pele, o exame permite um tratamento mais direcionado. Quando há uma menor produção de colágeno, por exemplo, o médico pode reforçar o tratamento tópico, melhorar a dieta do paciente e, principalmente, suplementar. Percebida essa alteração, será necessário um estímulo maior na produção desse tipo de colágeno com a utilização de cápsulas de Exsynutriment, um silício biodisponível, e In.Cell, um complexo extraído da gema do ovo que, em conjunto, atuarão na nutrição celular e formação desses tipos de proteína. No creme, é necessário utilizar ativos potentes como Hydroxyprolisilane C, Progeline e DensiSkin”, explica a farmacêutica Maria Eugênia Ayres, gestora técnica da Biotec Dermocosméticos. Além disso, não esqueça de consultar um dermatologista para a indicação correta de produtos para hidratação e ação antienvelhecimento, não esquecendo nunca a proteção solar, que deve ser diária. Por fim, o cirurgião plástico Dr. Mário Farinazzo explica que também existem opções cirúrgicas, indicadas para alguns pacientes. “De qualquer maneira, o melhor é sempre procurar um médico para indicação do melhor procedimento para a necessidade do paciente”, finaliza o cirurgião plástico.

Fontes:

DR. MÁRIO FARINAZZO: Cirurgião plástico, membro Titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP) e Chefe do Setor de Rinologia da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Formado em Medicina pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), o médico é especialista em Cirurgia Geral e Cirurgia Plástica pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), Professor de Trauma da Face e Rinoplastia da UNIFESP e Cirurgião Instrutor do Dallas Rinoplasthy™ e Dallas Cosmetic Surgery and Medicine™ Annual Meetings. Opera nos Hospitais Sírio, Einstein, São Luiz, Oswaldo Cruz, entre outros. 

Site: www.mariofarinazzo.com.br

DR. PAOLO RUBEZ: Cirurgião plástico, membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, da Sociedade Americana de Cirurgia Plástica (ASPS) e da International Society of Aesthetic Plastic Surgery (ISAPS), Dr. Paolo Rubez é Mestre em Cirurgia Plástica pela Escola Paulista de Medicina da UNIFESP. O médico é especialista em Cirurgia de Enxaqueca pela Case Western University, com o Dr Bahman Guyuron (em Cleveland – EUA) e em Rinoplastia Estética e Reparadora, pela mesma Universidade, e pela Escola Paulista de Medicina/UNIFESP.

Acesse: http://drpaolorubez.com.br/

DR. MARCELO SADY: Pós-doutor em genética com foco em genética toxicológica e humana pela UNESP- Botucatu, o Dr. Marcelo Sady possui mais de 20 anos de experiência na área. Speaker, diretor Geral e Consultor Científico da Multigene, empresa especializada em análise genética e exames de genotipagem, o especialista é professor, orientador e palestrante. Autor de diversos artigos e trabalhos científicos publicados em periódicos especializados, o Dr. Marcelo Sady fez parte do Grupo de Pesquisa Toxigenômica e Nutrigenômica da FMB – Botucatu, além de coordenar e ministrar 19 cursos da Multigene nas áreas de genética toxicológica, genômica, biologia molecular, farmacogenômica e nutrigenômica.

MARIA EUGENIA AYRES: Graduada em Farmácia Industrial pela Faculdade Oswaldo Cruz com Pós-Graduação em Farmacologia Clínica. Atua no Setor Magistral desde 2000 onde atualmente é Gestora Técnica da Biotec. CRF 33.424

LMG: A LMG é uma empresa que atua no mercado nacional tendo como objetivo de trazer soluções completas em equipamentos para tratamentos estéticos e dermatológicos. Os equipamentos respeitam os mais rigorosos padrões de segurança e qualidade estabelecidos por órgãos oficiais. Trata-se de uma empresa realmente comprometida, que vislumbra aumentar e melhorar o escopo de tratamentos. Laser, radiofrequência, cavitação e criolipólise em aparelhos consagrados como a Plataforma Solon e o Total Sculptor.

RELATED ARTICLES

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Advertisment -
Google search engine

Most Popular

Recent Comments