quinta-feira, agosto 18, 2022
spot_img
InícioNotíciasA constante automatização do comércio no pós-pandemia

A constante automatização do comércio no pós-pandemia

A pandemia de coronavírus mudou o cenário do varejo. Quase da noite para o dia mudando tudo, desde como os consumidores compravam até a fidelidade à marca. 

À medida que saímos da pandemia e entramos em um mundo centrado no cliente e com muita tecnologia, o que os empresários inteligentes devem fazer para se preparar para o futuro do varejo.

Uma presença online é uma obrigação

Todo varejista precisará de algum tipo de presença online. Pode ser um site ou uma loja online. Pode significar um aplicativo móvel. Pode incluir ferramentas de comércio social que permitem que seus clientes comprem produtos diretamente de seus canais de mídia social. Sem dúvida, a navegação e as compras online vieram para ficar.

Essa interface online servirá como a “porta de entrada” para os varejistas que também possuem uma vitrine física. Os clientes examinarão o inventário, compararão os preços e verificarão as avaliações on-line antes de entrarem em sua loja.

A presença online de um varejista deve se adaptar constantemente para incorporar novas tecnologias.

As pesquisas por voz já estão mudando a forma como os clientes vão comprar. Hoje, é 

“Alexa, qual é a previsão do tempo?” Amanhã, será “compre um presente para o Dia das Mães”. Isso significa que os varejistas precisam otimizar suas lojas online para segmentar clientes que usam métodos somente de voz para compras online.

Da mesma forma, espera-se que os clientes confiem nos conselhos de seus “especialistas” favoritos em mídia social para decidir o que comprar. Isso significa que os orçamentos de marketing dos varejistas podem incluir a contratação de micro influenciadores de mídia social para aumentar o reconhecimento da marca.

Lojas físicas vão evoluir

As lojas físicas transformarão o pós-pandemia em um espaço de dupla finalidade: um centro de atendimento, como o Sistema frente de caixa PDV. Durante a pandemia de 2020, muitas lojas converteram parte de seu espaço de varejo em áreas de atendimento para atender ao aumento da demanda por pedidos online. 

Esse modelo híbrido de centro de atendimento nos fundos e espaço de varejo na frente provavelmente continuará. Mais varejistas podem adotar essa abordagem uma vez que as taxas de locação comercial se adaptem para combinar taxas mais caras para espaço de varejo com taxas menos caras para espaço logístico.

As lojas físicas vão se tornar um local de entretenimento para os compradores. O futuro do varejo em um mundo pós-COVID é de menos, mas muito melhores lojas que vão explorar: emoção, conexão humana, descoberta e comunidade. O varejo físico se tornará uma experiência sensorial e de alto toque mais uma vez. 

Em outras palavras, o conceito de “dia de compras” vai voltar. Um passeio de lazer incluirá navegação, compras, refeições e socialização. Afinal, se os clientes quiserem apenas fazer uma compra, eles farão isso no conforto do sofá.

A entrega é uma vantagem competitiva

Os prazos e métodos de entrega se tornarão diferenciais, pois os clientes vão esperar o envio gratuito e rápido, para a maioria dos produtos. Drones e robôs autônomos serão usados ​​para alcançar novos mercados e reduzir prazos de entrega e custos operacionais.

Por mais improvável que pareça, a primeira entrega via drone de uma xícara de café quente já aconteceu.

A entrega por drone de está sendo testada. Empresas estão experimentando robôs autônomos para a chamada “última milha”. Como proprietário de uma pequena empresa, é provável que você não tenha seu próprio drone ou robô de entrega tão cedo, mas pode se encontrar em parceria com serviços de entrega que o fazem.

Prazos de entrega mais curtos também forçam os varejistas a usar fornecedores locais ou regionais para reduzir a espera e atrasos de estoque. A escassez relacionada à pandemia destacou os riscos do uso de cadeias de suprimentos de fonte única ou não regionais.

Seu cliente não se importará com o atraso da remessa, seu foco será encontrar uma empresa que possa entregar o que eles querem quando eles quiserem.

A personalização conquista seus clientes

A fidelidade do cliente será baseada em parte na mentalidade “quem me conhece melhor”. Com a personalização, os varejistas vão muito além da noção tradicional de serviço de luva branca.

A personalização da seguinte maneira: Por exemplo, se você sabe que os clientes compram itens consistentemente toda semana, por que não oferecer a eles um kit que contém todos os itens desejados? todos os itens juntos? Isso economiza tempo em relação à escolha dos itens individuais e, além disso, você também pode oferecer um desconto nesta compra em pacote.

Uma das chaves para a personalização será conhecer não apenas seus clientes regulares, mas também seus clientes ocasionais. Quanto mais dados você puder coletar, maior a probabilidade de criar o item que seu cliente nem percebe que deseja.

Assuntos de bem social

A responsabilidade social corporativa será importante. Uma pesquisa mostra que “os consumidores, especialmente a geração Z, estão dispostos a pagar mais por produtos que apoiem seus valores e tenham menos impacto negativo no meio ambiente”.

Isso significa que os varejistas têm que declarar suas políticas ambientais, sociais e de governança.

Você oferece produtos sustentáveis? Você reduz o desperdício de embalagens? Seus fornecedores são de comércio justo? Você oferece aos funcionários licença remunerada, assistência médica e cobertura de saúde mental ? Você é uma corporação B certificada? Os clientes escolherão comprar com empresas cujos objetivos sejam transparentes e alinhados com as prioridades do cliente.

Tecnologia vai dominar o varejo

Proprietários de pequenas empresas habilitadas por tecnologia para dinamizar seus modelos de negócios durante a pandemia do COVID-19. Os clientes, por sua vez, esperam que a tecnologia facilite sua experiência de varejo.

Lojas sem atrito focadas em “relevância, transparência e facilidade” são o futuro. Com a tecnologia certa implementada, as lombadas na experiência de compra desaparecem. Um cliente não encontrará uma prateleira vazia porque um sensor de IoT terá alertado o varejista para reabastecer o estoque. 

Um cliente sempre saberá onde na loja encontrar o produto que deseja com base no wayfinding digital e em um aplicativo móvel.

A tecnologia ajudará a orientar o processo de tomada de decisão do cliente. Os provadores inteligentes permitirão que os clientes encontrem diferentes tamanhos, cores e recomendações de roupas sem sair do provador.

A realidade virtual ajudará os compradores on-line a analisar um produto em profundidade antes de comprá-lo.

A força de trabalho vai mudar

Todas essas mudanças significam qualificar sua força de trabalho. Os funcionários precisarão de treinamento para usar a tecnologia que faz parte do seu DNA de varejo, como o Sistema frente de caixa PDV por exemplo, desde o uso de quiosques até o fornecimento de atendimento ao cliente excepcional com base em pontos de dados em seu sistema de CRM.

Ao se preparar para o futuro do seu negócio de varejo, concentre-se em seu cliente. Posicione sua empresa para adotar tecnologias à medida que elas se tornam mainstream e, portanto, mais acessíveis.

Encontre varejistas locais ou apenas on-line para fazer parceria para construir seu ecossistema de pequenas empresas. 

Embora ninguém possa prever com precisão o que o futuro reserva, o setor de varejo de amanhã, sem dúvida, será muito diferente do que é hoje

RELATED ARTICLES

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Advertisment -
Google search engine

Most Popular

Recent Comments